sexta-feira, 28 de março de 2014

Razão e Fé

            Hoje eu refletia sobre algo interessante.
            Religiosos que pensam serem donos da fé e cientistas que pensam serem donos da razão.
            Qual o meu talante?
            Quando se fala de religião como sinônimo de fé, dá-se a entender que só se pode ter fé no sobrenatural, no superior ao homem e no insensível a este. E, se a ciência é a possessora de toda a razão, os outros métodos de conhecimento estão no âmbito da fé e no ceticismo.
            O conhecimento pode ter três formas relativas à razão em meu ponto de vista.
            O misticismo é o irracional ou o que a razão humana não alcança. As religiões e as tradições podem trazer conceitos irracionais, como ressureição depois de mil anos de sono. Pode ser que havendo um criador que tudo pode, possa revivescer mesmo depois de mil anos um corpo que suas vitaminas já estariam longe, mas não é racional ou minha razão não alcança.
            A metafisica é a racionalidade sem provas físicas, não superando a razão, supera o físico como o nome já diz. Muito comum antes do renascimento. São as racionalidades sem experimentação, dedutivas, comuns nas filosofias antigas e nas religiões como o catolicismo e o espiritismo, este que a principio quase que totalmente metafisico. No catolicismo houve muitos filósofos famosos como Santo Agostinho que no século IV introduziu o idealismo platônico e São Tomas de Aquino que no século XIII introduziu na igreja o naturalismo aristotélico.
            A ciência é razão com experimentação. A razão provada através de indução e dedução. Induz-se um fenômeno e posteriormente deduz-se sua explicação. Tal é o método científico.
            A religião não é dona da fé. Pode o homem ter fé em um deus, em acontecimentos, em outro homem ou até em si mesmo. Ter fé é crer, mas crer somente não é o bastante e por isso houve a metafisica nas religiões.
            A ciência pode ter destruído a razão e a religião a fé.
            Que é razão pra você? E fé? Você é racional e tem fé em si?
            Tão miserável é o homem que tem que decidir entre ambas e quão vazia é uma vida sem razão ou sem fé.
            Como surgiu o mundo? Escolheria razão ou fé para responder?
            Para acreditar em big bang você precisará “acreditar”, pois o que é provada é a expansão do universo e não o momento zero da explosão. Para um cientista deve ser preciso ter fé no big bang.
            E sim, você pode chegar a dizer que foi um deus racionalmente, basta usar a razão, ora.
            Mas a fé perdeu seu sentido. Mataram-na e a envenenaram. Aumentaram seu tamanho de tal forma que perdeu seu sentido. Pensam eles, os iludidos que só se encontra fé onde houver comunhão de grande número de pessoas. Fé é algo que ninguém sente por ti. Sentimento que se sente por ti na multidão, e sentirá só. Duas pessoas não podem sentir o mesmo sentimento,pois é necessário ser um. Confundem a ideia com a palavra, a folha com a mensagem desta.
            Sagrar é dedicar ao divino. Se um livro ou um homem dedicam-se ao divino, ambos serão sagrados.
            Busquei me sagrar, também busquei me conhecer, busquei conhecer no mundo o que faltava para me conhecer. E, ainda hoje, nem razão, nem fé responderam-me a simples pergunta que li no livro “O Mundo de Sofia”.

            “Quem é tu?”